1998

3º Programa


Objecto Quase
Coreografia Nélia Pinheiro
Música David She | Musica tradicional de Moçambique (interpretada ao vivo)
Textos Excertos da obra Ano de 1993 de José Saramago | lidos por Agnes Golias
Bailarinos Hugo Goepp | Nélia Pinheiro
Cantores Eldevina Materula | Palmira Materula | Nalta Guambe | Lliane Simão | Anselmo Johanhane
Figurinos | Cenografia Nélia Pinheiro | Rafael Leitão
Desenho de Luz Rafael Leitão | Nélia Pinheiro

Imagens Objecto Quase


Olho Fogo (1ª versão)
Coreografia Nélia Pinheiro
Música Janita Salomé | Musica tradicional do Alentejo (interpretada ao vivo)
Bailarinos Hugo Goepp | Nélia Pinheiro | Raquel Nobre
Cantores Grupo de Cantares de Évora
Figurinos | Espaço Cénico Nélia Pinheiro
Desenho de Luz Rafael Leitão | Nélia Pinheiro

Imagens Olho Fogo  |  Video Olho Fogo


Design Gráfico Rui Alves
Fotografia Jorge Gonçalves
Técnico de Luz | Som Nuno Bexiga

Duração 70 min
Escalão Etário Maiores de 10 anos

Companhia Subsidiada Ministério da Cultura | Instituto Português das Artes do Espectáculo | Câmara Municipal de Évora
Apoio na Itenerância Regional Delegação Regional da Cultura do Alentejo

Estreia Évora | Teatro Garcia de Resende | 3 de Dezembro de 1998
O texto 1993 de José Saramago, abriu caminho para a incoerência e incompreensão entre o corpo da dança e os intérpretes. Nasceram 2 momentos: 1- a procura de uma forma no universo de Saramago - 1993 - um corpo usa o seu material habitual de trabalho para construir uma figura feminina que acaba presa a preconceitos estilísticos. 2- Libertos de constrangimentos autor e obra partem na procura de relações em universos previamente estabelecidos pelo criador. Um RX das atitudes humanas. Afinal a criação já era Objecto Quase em 1993. Há mais questões. Há sempre mais questões. Encontraram espaço nas necessidades vitais do ser humano para a sua sobrevivência psíquica, numa desordem que alterna a ordem. Incapacidade de nos saber mover, existir, agir na condição de ser humano.
In Programa do Espectáculo
Imprensa
" Se a primeira é apresentada como sendo uma peça intimista e " por vezes reservada, uma história sem tema pré-determinado", "Olho Fogo" tem o Alentejo como tema central - as gentes, a paisagem e o cante."
In Jornal Diário do Alentejo | 11/12/98
“O Corpo Liberto.
Textos de Saramago num espectáculo da Companhia de Dança Contemporânea de Évora.
A primeira criação de autoria de Nélia Pinheiro, articula o movimento e o corpo com a linguagem verbal, usando textos de José Saramago da obra O Ano de 1993, cantados ou lidos pela artista moçambicana Eldevina Materula. Objecto Quase, com dramaturgia de Rafael Leitão, resultou da exploração de informações colhidas nos meios de comunicação social, conta histórias, mostra retratos e comportamentos. E procura uma forma nessas histórias, um corpo liberto, desarticulado de um texto. Este é justamente um dos objectivos da Companhia: criar composições coreográficas que sejam desafios para o corpo, abrir caminho à espontaneidade criativa.”

Alexandra Correia in Revista Visão | 20/04/1999


<< Anterior  |  Criações  |  Seguinte >>
 
 
© 2015 Companhia de Dança Contemporânea de Évora. Todos os direitos reservados. fotos: Telmo Rocha design: NAD desenvolvimento: b-online.pt
      siga-nos no